FUSO 2008
28 JUL > 1 AGO
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
             
 
 
 
marta sicurella
IL FAUT VOIR SISYPHE HEUREUX #1
   
    2004, Fundação PLMJ, 2’07’’
 

A interpretação de dois géneros tradicionais das artes plásticas, a paisagem e o retrato, define a prática da artista. Nas suas fotografias, perspectivas nocturnas ou diurnas focam contextos urbanizados ou grupos de indivíduos, pressentindo-se múltiplos estados emocionais, da melancolia à esperança. Este projecto consiste no plano fixo de uma área desértica, que enquadra uma personagem a empurrar uma enorme bola feita de jornais, entrando e saindo de campo várias vezes. Evoca-se, então, Sísifo, figura da mitologia grega – retomada pelos existencialistas – condenada a eternamente transportar um pedregulho até ao topo de uma montanha. Assim, cruzando várias referências culturais, este trabalho reflecte acerca da condição humana.