FUSO 2008
28 JUL > 1 AGO
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
             
 
 
 
boaz arad
GEFILTE FISH
   
    2005, 12’
 

(peixe recheado - é um prato típico de cozinha judaica da Europa oriental.)
Este vídeo é um encontro entre uma mãe e um filho. Neste encontro, construído no formato de um programa culinário de televisão, a mãe ensina a receita de família de gefilte fish.
A cara da mãe não aparece no vídeo. Sempre que a câmara sobe até à cara, apareço eu no seu lugar.
A cabeça do peixe está sobre uma tábua de cozinha. A minha cabeça aparece num fundo semelhante, numa variação de comentador ou apresentador do programa. Durante o vídeo, ao mesmo tempo que aprendemos a receita, aprendemos algo sobre os Judeus Ashkenazi (Alemanha/ Europa Central) e a sua relação com os Judeus Mizrachi (Norte de Africa e Médio Oriente), e o desaparecimento da cultura Ashkenazi.
A receita de peixe começa com a proibição de cozinhar no Sabbath. O prato pode ser comido frio, um dia depois de cozinhado. Na cultura Israelita, esta receita foi sendo desprezada, mesmo entre aqueles que nunca a provaram.
No meio do vídeo, o filho questiona-se sobre a perda das raízes familiares. Daí parte em círculos crescentes para a família, lar, comunidade, características israelitas e cultura ocidental.
O vídeo pode ser visto de diversos pontos de vista. O primeiro discute o aspecto político-social e o segundo tenta tocar algo pessoal, privado, numa criança que cresceu e agora surge como um adulto frente a sua (cujas mãos se empenham em afazeres violentos), tentando descodificar algo sobre a maternidade.
Em fundo, dois filmes de Alfred Hitchcock: “Psyco”, onde o personagem principal carrega a voz da mãe e “Birds” (em Portugal “Os Pássaros”), no qual o pássaro pode ser visto como um sinal de um impulso primaveril, uma proibição que desenvolveu voz própria.