FUSO 2008
28 JUL > 1 AGO
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
             
 
 
 
jannick guilloiu
INTERLUDES
   
    2007, 10’13’’
 

Uma longa sequência em forma de um interminável panorama mostra-nos inicialmente um espaço vazio. Em seguida um pormenor, um casaco vermelho, marca o início de um crescendo visual que continua ao longo do filme.
Despido no início, o espaço enche-se gradualmente. Objectos, pessoas e cores ocupam o espaço de forma inexplicável. Cenários independentes e inesperados juntam-se em cada viragem. O espaço gradualmente tome forma, torna-se vivo e transforma-se na parte de trás da câmara que de forma incansável segue o mesmo caminho.
GADO, desordem, saturação… O vazio feito harmonia que termina num excesso, que gera vazio outra vez, um espaço em reconstrução prepétua.