FUSO 2008
28 JUL > 1 AGO
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
             
 
 
 
fabien giraud
THE STRAIGHT EDGE
   
    2005 13’, 6’ (excerto)
© Fabien Giraud et Olivier Anselot, Le Fresnoy – Studio national

Uma multidão dança ao som de uma música que não se ouve, tocada por uma banda que não se vê. O que fica é o som dos corpos em movimento, a imagem de uma ordem em movimento.
"The Straight Edge" é uma experiencia conduzida num concerto de hardrock punk. O público e a sua intensidade forneceram a matéria. As expressões partilhadas de alegria, violência e tédio são os elementos da ficção cultural aqui em jogo. No seu interior formas são tentadas, moldadas, repetidas.
Abordo a comunidade como uma interacção complexa na qual os indivíduos se inventam. Partilhando regras, posturas e ritmos, cada um se constrói a sim mesmo e cria um mundo. Este movimento de construção é o coração do meu trabalho. Acredito que é sempre flexível, modificável, que pode ser alterado e recriado. Acredito na ficção e na possibilidade da sua reinvenção.

Agradecimentos a Noémie Tranchant, Philippe Wagner, Blaise Basdevant, Guillaume Ségur, Emilie Godreuil, Anna Katharina Scheidegger.