FUSO 2010
28 JUL > 31 JUL
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
             
 
 
 
luis sezões
RESPOSTA AO MEIRELES
   
OPEN CALL   Portugal, 2:53 min
 

Onde se enquadra a contra-cultura nos dias de hoje? Se, nos tempos em que esta expressão começou a ser utilizada, a contra-cultura e a cultura mainstream andavam em pólos opostos, hoje em dia namoram pelas esquinas. Em 1970, Cildo Meireles com as suas "Inserções em Circuitos Ideológicos", desenvolveu o Projecto "Coca-Cola", que consistia no uso do processo de silk-screen com tinta branca vitrificada sobre garrafas de Coca-Cola (símbolo indiscutível do capitalismo norte-americano). Com esses decalques eram inscritas mensagens, sendo que uma delas eram instruções em como fazer daquele objecto de vidro um cocktail-molotov (símbolo da contra-cultura e revolta). Se naquela altura o inverter a conotação de um objecto, conferindo a ícones mainstream uma conotação subversiva, era um exercício comum desenvolvido por certos grupos sociais, actualmente testemunha-se o contrário. Já não são os punks ou os anarquistas ou os hippies a alterarem certos objectos e marcas de uma forma subversiva, mas sim essas mesmas marcas a utilizarem a estética rebelde, convertendo-a ao mainstream. Não faltam exemplos. Moicanos em meninos ricos, calças rasgadas ao dobro do preço de calças por rasgar, bandas "punk" que alcançam sucesso com a MTV, festivais onde se "promove" a rebeldia e a individualidade à sombra de lonas publicitárias de desodorizante, refrigerante e telemóveis. Este vídeo, intitulado Resposta ao Meireles, joga com esses conceitos. O que se pretende é o revisitar de uma experiência de subversão de um ícone capitalista, trocando-lhe a função, colocando-o ao serviço do outro lado da barricada. Para tal o que se apresenta no vídeo é exactamente a materialização da sugestão de reutilização da garrafa de refrigerante que Meireles disponibilizou em 1970 com o Projecto "Coca-Cola".