FUSO 2010
28 JUL > 31 JUL
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
             
 
 
 
pedro maia
ARIZE (ZONA)
OPEN CALL  
    Portugal, 10:00 min
 

Partindo da recente longa metragem A Zona, realizada por Sandro Aguilar, Arise (Zona) pretende concretizar todo o lixo cinematográfico posto de parte aquando da concepção e montagem de um filme, utilizando os metros de película gastos que são entendidos como lixo e que na maior parte das vezes nem sequer são digitalizados. Arise (Zona) é toda a sujidade, todos os erros que são tendencialmente evitados, esquecidos ou simplesmente ignorados. É essa sujidade, esse “lixo”, que pretendo fazer emergir; tudo o que é normalmente omitido e invisível e aquilo a que não temos acesso. A emersão das imagens impressas nos desperdícios de película, votadas ao vazio e ao esquecimento absoluto darão, subversivamente, lugar a uma nova leitura e a um novo sentido.
Referindo-se a um espaço emocional limite, a uma dimensão psicologicamente densa e alterada, Arise (Zona) reporta um lugar de ambiguidade e indeterminação entre vida e morte no qual a narrativa e lógica temporal são suspensas. Eis a película lado a lado com a sua própria sepultura, num processo autofágico em direcção à morte. Vivendo nos momentos finais do cinema químico é urgente concretizar a materialização do mesmo.