FUSO 2011
26 > 30 JUL
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
          back
 
 
 
pedro vaz
S/TÍTULO, 2011
   
     
 

A presente proposta de Pedro Vaz percorre, desta vez, uma fenda de difícil acesso, pertença da Serra da Arrábida. Lugar este que deu origem a uma grande escarpa interior, atingindo os 27 metros de profundidade. Na sua base, para além de enormes e imponentes pedras, existem alguns elementos de vegetação mediterrânea primordial, ainda sem vestígios de acção antrópica.
O documento foto-videográfico, de aproximadamente 15 minutos, é projectado sobre um plano cru de madeira assente na vertical, entreaberto sobre o pavimento. Revela assim a qualidade de uma instalação, procurando aludir visualmente a uma aproximação à sua essência natural.
Passo a passo o autor caminha e regista fotograficamente o exequível percurso no sopé da fenda.
De um modo crucial "o caminho de todas as coisas pode ser reversível" , e nesse mesmo sentido o percurso foi registado nos dois possíveis sentidos, mas apresenta-se perante um só contínuo destino.

1 PARMENIDÊS, Fragmento 6, tradução de M. H. da Rocha Pereira.

 

Projecção s/madeira, 150cm X 200cm.
Vídeo / Documentação Fotográfica, s/som, p.b, 60’