FUSO 2011
26 > 30 JUL
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
          back
 
 
 
bárbara correia andrez
30, 2011
OPEN CALL  
    5’ 1”
 

(30) é uma reflexão, uma contagem metafórica, uma luta interior feminina sobre a passagem incomensurável da barreira dos 30 anos. A mulher luta constantemente por uma afeição e aceitação do seu próprio corpo em função de ideais de beleza impostos pelo escrutínio da sociedade. 30 é uma barreira, um marco na idade, a década dos 20 desaparece e com ele as mulheres experimentam o medo de envelhecer mais cedo do que os homens, sobretudo o medo de envelhecerem fisicamente. A superimposição de imagens recomenda cremes anti rugas, cirugias plásticas, tintas para o cabelo, dietas... Tudo isto faz parte do léxico da vida de qualquer mulher que face a uma mudança natural de envelhecimento, recorrerá ao que estiver ao seu alcance para mudar essa sua nova condição.
(30) estabelece este desequilíbrio, esta condição obtusa feminina. Evidencia as variações de humor face à mudança e a aceitação deprimida de alguém que sofre por antecipação, como se os 30 fossem, de repente, um ponto onde o processo de envelhecimento acontece.