FUSO 2011
26 > 30 JUL
       

 

                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
         
                     
          back
 
 
 
carpideiras
GOSTARIA DE SER MÃE INFINITAMENTE, 2011
OPEN CALL  
    Vídeo digital 720x576; dv-pal; 1’05”
 

"Tenho a certeza que ele não se apercebe da situação ou que a considerava tão indissociável na sua maneira de estar na vida que conhecê-la era apenas uma outra forma de não a conhecer".
Ele, o ser. Ela, a verdade.
"Gostaria de ser mãe infinitamente" pretende lançar um olhar, ora crítico e tempestuoso, ora terno e melancólico, sobre as relações e interpolações que estabelecemos com o conceito de verdade - essa que depende do olhar de que a vê. Afinal, todos os terrenos são férteis.